sábado, 11 de junho de 2016

33ª Suma: Os Frutos Vivificantes.

33ª Suma: Os Frutos Vivificantes.

Em nome de Deus, o Piedoso, o Misericordioso.

1.      Glorificado seja Deus, o Senhor da Criação, que vive de eternidade em eternidade;
2.      E exaltado seja Deus, que plantou o Éden e nele colocou o homem que havia criado;
3.      E que fez desabrochar do Éden toda espécie de árvores agradáveis de saborosos frutos para comer;
4.      E, entre elas, a Árvore da Vida; sombreiro altivo cujo fruto concederia vida eterna a quem dele experimentasse;
5.      Mas o patriarca e a matriarca da humanidade se apresentaram como deuses e desobedeceram ao Senhor, o seu Criador;
6.      E Deus expulsou os transgressores do Éden, e ordenou que Uriel, o Portador da Espada Flamejante, ficasse de guarda do fruto da vida;
7.      E mortal algum poderá alcançá-lo;
8.      Até que o levante da humanidade traga a geração gloriosa; os puros de espíritos e santos de corações.
9.      E estes humanos edificarão o Grande Nação da Devoção, e a fidelidade no Senhor prevalecerá sobre os Seus inimigos; os extraviados, os ímpios, os abomináveis, os iníquos, os depravados, os infratores e os criminosos;
10.   Então, os últimos serão os primeiros, e os primeiros serão os últimos.
11.   E quando toda mácula da imperfeição humana for superada - a idolatria - será dado a cada homem e a cada mulher que se mantiveram obedientes a obra do Altíssimo, o fruto da imortalidade;
12.   E sobrevirá o Paraíso Glorioso!
13.   Ó Manifestante, aproveitais o que há de bom e de sadio que Eu tenho prescrito para os seres humanos, porque só vos foram vedados o canibalismo, a carne de porco, a carne abatida para os ídolos, a sangria, a carniça, a caça e o abate por esporte ou por prazer; porém, aqueles que forem impelidos a isto por força maior não serão condenados; salvo os canibais, porque o canibalismo é uma transgressão profana e imperdoável.
14.   Se um homem cai morto junto ao seu cão de guarda, este resguardará o corpo sem vida de seu dono sem devorá-lo, embora seja cruelmente atacado pela fome; então, como os seres humanos devorarão uns aos outros? Porventura, não raciocinam?
15.   Também cometerá uma transgressão abominável, todo aquele que consumir uma criatura de qualquer espécie, seja a sua carne ou o seu sangue, enquanto o animal ainda estiver vivo.
16.   Sabeis, ó humanos, que os abates já não Me aprazem; salvos aqueles realizados para os vossos sustentos ou para os sustentos de vossos povos; quanto a isto, não serieis repreendidos.
17.   Porém, aqueles que matarem ou maltratarem os animais sem orientação e não se arrependerem dos seus atos, sofrerão um doloroso castigo; porque, como vós, ó humanos, os animais também são as Minhas criaturas.
18.   Sabei que a castração é uma violação da ordem sagrada de procriação; quem castrar um animal ou permitir ser mutilado voluntariamente, será também, no mundo vindouro, arrancado do Paraíso e lançado no Inferno; onde sofrerá uma pena eterna no calor escaldante!
19.   Estão-vos vedados os abates sem propósitos, como também vos estão proibidos os sacrifícios invocados sobre o nome de Mamom; isto é, cujo o propósito seja simplesmente os lucros;
20.   Aqueles que lucrarem com os abates ou com os sacrifícios de animais, no propósito de nutrir o sustento de um povo, que invoquem o Meu Nome; ou jamais prosperarão;
21.   Dize: Ó Senhor nosso, aceitai os nossos abates de bom grado, pois nós visamos tão somente alimentar os Teus servos; louvado sejas Tu, ó Piedoso, o Misericordioso!
22.   E vós, ó devotos, antes de vos nutrirem, dize: Que o Senhor, o meu Deus, purifique este alimento;
23.   E vós, ó devotos, após vos nutrirem, dize: Louvado seja Deus, o Provedor do meu sustento!
24.   Estão-vos vedada a carne de todo animal ameaçado de extinção; além das carnes de suídeos, de canídeos, de felídeos, de ursídeos, de camelídeos, de equídeos, de primatas, de roedores, de répteis, de anfíbios, de insetos, de aves rapinantes, de aves necrófagas e de todo mamífero terrestre carnívoro; também dos mamíferos aquáticos: as baleias, as focas, os golfinhos, os botos, as orcas, as morsas, os dugongos, os leões-marinhos, os lobos-marinhos, os elefantes-marinhos, os ursos-polares, as lontras-marinhas e afins; porém, quem for impelido a isto pela fome ou por força maior, não será condenado ou descriminado, desde que invoquem durante o seu consumo, manifesto ou em oculto, o nome de Deus;
25.   Quanto aos víveres fluviais ou marítimos, apenas vos são ilícitos os frutos que possuírem glândulas peçonhentas ou espinho venenosos; porém, quem for impelido a isto pela fome ou por força maior, não será condenado ou descriminado, desde que invoquem durante o seu consumo, manifesto ou em oculto, o nome de Deus;
26.   Ademais aproveitai, ó devotos, do que vos são lícitos; os animais que andam sob o solo, que voam sobre o céu ou que vivam sub os mares e rios.
27.   Ó devotos, sabeis que o consumo de carne se desenvolveu a partir das crescentes impiedades humanas sobre a Terra, e isto, inexoravelmente, gerou consequências e retaliações da Nossa parte. Porém, indultamos a humanidade e permitimos o seu consumo moderado e regrado;
28.   Portanto, se vós quiserdes vos preservarem das doenças debilitantes e das enfermidades mortais que assolam os seres humanos, e se quiserdes aumentar consideravelmente as vossas qualidades de vida;
29.   Apartai-vos, pois, dos consumos das carnes vermelhas ou das carnes brancas; serão estas as condutas para as elevações das vossas saúdes e dos vossos bem-estares, se quereis saber.
30.   Eis aqui o regime alimentício vital para os devotos e para as devotas; os consumos dos cereais, das gramíneas, das verduras, dos vegetais, das nozes, das hortaliças, dos fungos, das trufas, dos legumes, das vitaminas, das fibras, das sojas, dos néctares (como o leite e o mel), dos troncos (como o palmito), dos ovos, das sementes, das raízes, das frutas, dos tubérculos e afins.
31.   Assim evidenciamos os Nossos sinais, para que raciocineis!

Nenhum comentário:

Postar um comentário