quinta-feira, 20 de julho de 2017

5ª Suma: O Elucidador.

5ª Suma: O Elucidador.

Em nome de Deus, o Piedoso, o Misericordioso.

1.      Tudo quanto existe nos Céus e na Terra glorificam Deus; Sua é a soberania e Seus são os louvores, visto que é o Onipotente, o Onisciente.
2.      Foi Ele Quem vos criou do pó e vos plasmou com a vida, porém, entre vós há insubmissos, assim como há submissos, contudo, Deus bem vê tudo quanto fazeis.
3.      Ele conhece tudo quanto existe de manifestado, assim como também, conhece tudo quanto há de ocultado intimamente, porque Deus é o Conhecedor das intimidades dos corações.
4.      E Ele vos deu a orientação e a exortação do Livro-matriz, de época em época e de povo em povo, através dos seus Mensageiros; para que a humanidade seja agraciada com a Sua clemência, com a Sua benevolência;
5.      Entretanto, quão poucos são os humanos que agradecem;
6.      E, menos ainda, os humanos que reconhecem.
7.      Sabei, ó Manifestante, que aqueles que renegarem ou desmentirem os Nossos sinais milagrosos, serão condenados ao tormento, onde morarão eternamente. Tal será o funesto castigo dos desmentidores.
8.      Porém, aqueles que crer em Deus, em Sua Manifestação e praticar o bem, serão absolvidos das suas faltas e perdoados das suas transgressões; introduzi-lo-emos em jardins maravilhosos e em palácios suntuosos, onde morarão eternamente. Tal será a maravilhosa recompensa dos benfeitores.
9.      E eles te dirão: Ele forjou este Manifesto.
10.   Dize: É impossível que este Manifesto não tenha sido elaborado por Deus, o Sapiente, e agraciado ao Seu Manifestante; outrossim, é a revelação corroborante com as admoestações anteriores.
11.   Mas, se te desmentirem, dize: Componde vós, ó desmentidores, dez sumas semelhantes a esta; e podeis, para isto, recorrer aos vossos ídolos mundanos, se estiverem certos.
12.   Qual! Nunca revelarão nada semelhante, pois a exortação deste Santo Manifesto foi dada unicamente ao Manifestante de Deus, dentre todos os seres humanos.
13.   E, se continuarem a te desmentir, dize: Ó idólatras, entre a minha submissão absoluta ao meu Senhor e a vossa idolatria a terceiros, basta Ele por testemunha;
14.   E, verdadeiramente, bastará o teu Senhor por testemunha, ó Manifestante.
15.   Não te mortifiques pelo povo depravado;
16.   Apartai-vos dos teimosos e dos idólatras; porquanto estes, morrerão em erro; e, na outra vida, sofrerão uma flagelação eterna.
17.   E eles te dirão: Então Deus despertou um mensageiro da nossa extirpe? Qual! Ele não passa de um poeta herético.
18.   Porquanto são insubmissos e duvidam da Minha munificência.
19.   Recorda-te então, ó Manifestante, quando, antes disto, tu te encontravas em evidente erro e em descaminho contra a Palavra de teu Senhor;
20.   E o Senhor, o teu Deus, te curou da cegueira espiritual que te enraizava;
21.   Então, dissestes agradecido: Ó Senhor meu, a humanidade, verdadeiramente, não poderá se emendar sem a Tua orientação;
22.   E Eu te disse: Sim, por certo, a humanidade não poderá se retificar sem a Minha anuência;
23.   Então, tornastes a dizer: Ó Senhor meu, preserva-me então da opressão dos idólatras e da ganância de Mamom;
24.   E Eu te disse: Serás, então, dos preservados.
25.   Recorda-te, ó Manifestante, de quando Satã te tentou com um viés ideológico, para ludibriar-te enquanto tu admoestavas o teu povo. Então, começastes a tua exortação no que consideravas ser ingenuamente a Minha senda, atribuindo parceiros junto ao teu Senhor; porém, com o tempo, Rafael te preveniu dos teus erros e te orientou à senda da verdade; e tu te perturbastes, profundamente, porque nunca ouvira falar de nada semelhante ao que o Meu Verbo te admoestava;
26.   E disseste: Louvado seja Deus, o Misericordioso, o Piedosíssimo!
27.   E Eu te elegi o Meu leãozinho; expandi a tua mente e dilatei o teu peito, para a sapiência moderada do incognoscível e, em poucos meses, dei-te o Manifesto completo;
28.   Como um exemplo de elucidação e exortação para os judiciosos;
29.   Porque assim como o profeta Moisés e o profeta Maomé, Meus Legisladores, tu também nasceste numa casa de impureza idolátrica;
30.   E porque tu és o Profeta Letrado, capacitado pelo teu Senhor para interpretar o Seu Verbo seguramente. És o primeiro Legislador d´Ele no Ocidente e logo todo o mundo genufletirá ante o teu Senhor!
31.   E Eu te tirei da influência materna, assim como sucedera com os teus antecessores, os profetas Adão, Elião, Abraão, Eliel, Moisés e Maomé;
32.   Sabei que nisto há evidências para os submissos!
33.   Dize: Ó insubmissos, a sagrada orientação foi me dada num prazo pré-fixado pelo meu Senhor de dois anos; isto é, o Seu Espírito revelou-me o Livro-selado paulatinamente e depois ajudou a reorganizar o Seu Manifesto; faz algo semelhante neste pouco tempo, sem a orientação d´Ele, se sois dos verazes;
34.   Qual! Jamais revelarão uma frase sequer sem o Meu consentimento, pois, se assim o fizerem, renegando-te ou desmentindo-te, sofrerão uma maldição indefectível; porquanto os corruptores e os idólatras não serão perdoados.
35.   E, se te renegarem e te escarnecerem, ó Manifestante, verdadeiramente, não te depreciarão, muito menos prejudicarão o teu Senhor, senão lesarão a si mesmos com os seus orgulhos.
36.   Dize: Eis o castigo dos renegadores, cujas chamas serão eternamente vivificadas pelo Castigador; é o tormento duradouro, pira perpétua de consumação dos ímpios.
37.   Dize: Ai, portanto, no Dia da Ira, dos descuidados.
38.   Dize: Ó idólatras, dizeis coisas acerca de Deus do quais ignorais? Como julgais assim? Não meditais?
39.   Dize: Esta é a pura e absolutíssima verdade: Há apenas um Deus, o Sapiente, o Inteiradíssimo.
40.   Dize: E ninguém ousará desmentir, senão os depravados.
41.   E eles te dirão: Tu não és mensageiro.
42.   Dize: Basta Deus por Testemunha, entre eu e vós, assim como, entre eu e vós, sou testemunha da Sua Sagrada Unicidade. Glorificado seja o Senhor, o meu Deus, o Uno, o Verdadeiro, o Absoluto;
43.   Dize ainda: A mim foi dado a ciência do Livro, a vós, ó idólatras, a ciência do tormento abrasador; e que terrível castigo!
44.   E eles te dirão: Não és mais do que um mortal, como todos nós. Quereis, por acaso, afastar-nos do que adoraram os nossos pais e, antes deles, os pais dos nossos pais? Apresentai-nos, então, uma autoridade evidente.
45.   Dize: Não sou mais que um mortal, como vós. Todavia, Deus agracia quem Lhe apraz, dentre os Seus servos. Ser-me-á impossível apresentar-vos uma autoridade sem anuência do Senhor, o meu Deus; que os submissos, pois, se submetam a Ele.
46.   E não importa, ó Manifestante, que Eu lhes envie um raio que fulmine com os seus parentes, os insubmissos jamais crerão em ti, porquanto Eu sigilei os corações dos depravados;
47.   E não terão, no Meu Dia, protetor ou socorredor algum.
48.   E não importa, ó Manifestante, que Eu lhes envie um anjo com uma autoridade evidente, embora em forma humana para confundi-los, os insubmissos jamais crerão em ti, porquanto Eu sigilei os corações dos depravados;
49.   E não terão, no Meu Dia, protetor ou socorredor algum.
50.   Em verdade, se um anjo surgisse no céu, como uma luz fulgurosa e abrilhantassem às vistas dos idólatras, estes diriam, convictos: Eis aí o nosso deus e salvador;
51.   Ou, ainda, se o teu Senhor enviasse uma nuvem com o formato facial do Cristo helenizado, eis que diriam, convictos: Olha aí o sinal do nosso deus;
52.   Porque são as bestas mais irracionais que existem!
53.   Repara, pois, como o teu Senhor se diverte com os seus delírios;
54.   Porque eles não querem a verdadeira Religião, contrariamente, querem alimentar a morbidez da idolatria em seus corações; e serão punidos, exemplarmente, com o fogo do Inferno!
55.   Assim testamos pacientemente a submissão dos seres humanos no que concerne ao teu Senhor;
56.   Quão poucos têm permanecidos retos;
57.   E quão numerosos são os extraviados, se os enumerassem.
58.   E eles te dirão: Querei desviar-nos das nossas idolatrias? O que almejai com a tua filosofia?
59.   Dize: Não vos peço recompensação alguma, ó idólatras, pois o que eu almejo nenhum de vós podeis me oferecer; à Deus nos encomendamos, eu e os meus súditos, porque Ele nos é suficiente.
60.   Dize: E que o Senhor, o nosso Deus, nos faça morrer como submissos à Sua Sublime Causa.
61.   Dize: Tudo que eu vos peço, ó idólatras, é a vossa submissão absoluta à Deus, pois não há outro deus além d´Ele. Não meditais?
62.   Dize: Que os submissos, pois, se submetam ao seu Criador e não Lhe atribua semelhantes nem parceiros;
63.   Dize: Porque, se assim o fizerem, contarão entre os desventurados.
64.   Olhai a tua volta, ó Manifestante, e observai quantos são aqueles que se prostram em adorações às imagens que julgam santas e quantos são aqueles que usam adereços que julgam miraculosos;
65.   Quão tolas são as suas ilusões, se imaginassem.
66.   E Eu os puno com a seca, a fome, a violência e as doenças por suas ignomínias e depravações idolátricas; tal é o castigo dos idólatras, porém, na outra vida, sofrerão um afrontoso castigo.
67.   Não fui Eu que os condenei ao fogo do tormento, contrariamente, condenaram a si mesmos; porquanto são rebeldes.
68.   Dize: Ó idólatras, pode ser que o meu Senhor tenha misericórdia de vós; porém, se reincidirdes na idolatria, Ele reincidirá no castigo; e fará do tormento uma morada permanente para vós.
69.   Tal será o destino dos idólatras; e que funesto destino.
70.   E eles te dirão: Ora, Deus te escolheu entre todos os seres humanos? Qual! Tu não passas de um forjador.
71.   Dize: Deus acolhe quem Lhe apraz e perdoa quem Lhe convém;
72.   Dize: Tal é a prova da munificência de Deus, o Remissório. Por que duvidais da Sua misericórdia? Não atentais? Ou preferirias que Deus abandonassem os seres humanos em suas idolatrias? Exaltado seja o Senhor, o meu Deus, que jamais desamparará as Suas criaturas.
73.   Dize: Ó insubmissos, Deus não apenas me escolheu, mas eu, em contrapartida, escolhi, por livre e espontânea vontade, a Sua senda. Embora Deus não precisasse de mim para fazer prevalecer a Sua vontade, e embora eu seja um homem vacilante e transgressor, nomeou-me testemunha contra as vossas idolatrias e me admoestou com uma elucidativa Mensagem; porquanto é o maior dos admoestadores.
74.   Dize: Glorificado seja o Senhor, o meu Deus, o Piedoso, o Misericordioso.
75.   Dize: E que a Sua vontade prevaleça sempre e sempre, de eternidade em eternidade, mesmo que desgostem os insubmissos.
76.   Aquele que aceitar a Minha Unicidade fará em benefício próprio, entretanto, o que renegar a Minha Unidade cairá em prejuízo de si mesmo.
77.   Antes, enviamos Mensageiros e Profetas aos povos primitivos, recorda-te de Adão, de Sete, de Enoque, de Noé, de Éber, de Selá, de Elião, de Abraão, de Ló, de Eliel e de Jetro, que os exortaram à lucidez e à submissão absoluta da Minha Religião; e alvissararam os insubmissos, dizendo-lhes: Adorai à Deus, pois não há outro deus além d´Ele. Por acaso, seguíeis as idolatrias de vossos pais, sendo que, nenhum destes ídolos poderão vos prejudicar nem vos socorrer do castigo aziago? Porventura, não raciocinais? É de Deus a Criação dos Céus e da Terra; glorifica-O, pois, e morrei assim como os submissos na Sublime Causa!
78.   E os idólatras disseram: Qual! Adoraremos somente o que adoraram os nossos pais e, antes dos nossos pais, os pais dos nossos pais. O que quereis é desviar-nos das nossas adorações;
79.   Assim, não fizeram mais do que atrair maldição após maldição sobre as suas cabeças;
80.   E Eu os aniquilei, à eles e aos seus ídolos; mas, por Minha justiça, o que os aguardará no Dia das Desolações será um castigo agravado.
81.   Tal será a sorte dos insubmissos; e que péssima sorte.
82.   Tal será o fogo da purificação, que jamais cessará de queimar, embora os condenados venham a rogar por misericórdia e remissão.
83.   Quão terrível será o que os aviltará no Meu Dia;
84.   Porquanto foram convocados à submissão e se assoberbaram.
85.   E dizem: Deus não tem mensageiro algum. Não és mais do que um poeta herege;
86.   Porquanto, realmente, duvidam do Meu poder e da Minha munificência.
87.   Dize: Exaltado seja o Senhor, o meu Deus, acima de tudo quanto existe no Universo.
88.   Dize: Só a Ele me encomendo e só a Ele me submeto. Louvado seja o Senhor, o meu Deus, acima de tudo quanto os depravados Lhe associam.
89.   Ó Manifestante, recorda-te da graça de teu Senhor, quando, estando desamparado e desorientado, tu invocas a Sua fortaleza e Ele, prontamente, te fortalece;
90.   Então, te achas imbatível e animado, porém, com o tempo, te esqueces das tuas responsabilidades e o Senhor te desampara e te enfraquece, para testar a tua submissão;
91.   Recordai que Ele faz isto senão para que tu te humilhes perante Ele, porquanto somente os humilhados serão agraciados.
92.   E também para que tu te lembres que, embora tu sejas o Seu Manifestante, és tão somente um ser humano, fraco e mortal, como todos os outros seres humanos;
93.   Portanto, não te assoberbes da Palavra, nem te encontres entre os que se julgam superiores, porquanto o Senhor, o teu Deus, despreza os jactanciosos.
94.   Recorda-te de Jesus, o filho de Maria, que, embora agraciado com o Meu beneplácito, elevou soberbamente o seu nariz, quando uma estrangeira desesperada veio ter com ele acerca da sua filha doente; e Eu repreendi o Meu Ungido severamente, humilhando-o à Minha recordação. E Eu curei a filha da estrangeira, mesmo a contragosto de Jesus; já que Eu faço o que Me apraz. Jesus então, percebendo a sua má conduta diante dos Meus Olhos, rogou o Meu perdão e Eu, prontamente, o perdoei; porque Eu sou o Remissório, indulgentíssimo para com os Meus servos;
95.   Que te sirva de lição, ó Manifestante!
96.   E te envereda, pois, pela senda reta das Colunas da Submissão;
97.   E o que te fará entender o que são as Colunas da Submissão?
98.   É o caminho que verdadeiramente te levará até Deus, o Virtuoso.
99.   Recorda-te de como, no passado, cercado pela hipocrisia dos adeptos do Livro, tu consideravas o teu Senhor adversário da humanidade e sonhavas, proclamando, presunçosamente: A humanidade se remediará por si mesma e a religião não é mais que a desgraça dos povos;
100.         E o Senhor, o teu Deus, te disse: Despertai de tua incúria e respondei ao Meu chamado, porquanto Eu te humilharei;
101.         E, quando Ele te manifestou a verdade, humilhando-te das tuas ilusões satânicas, dissestes: Ó Senhor meu, contava-me entre os cegos, embora enxergasse com os olhos; e contava-me entre os surdos, embora escutasse com os ouvidos. Perdoa-me, ó meu Deus e Soberano;
102.         E Eu te perdoei, ó Manifestante, e te dei uma elucidativa admoestação; para que a humanidade, como tu, seja humilhada por suas ignomínias e depravações.
103.         E eles te renegarão e te escarnecerão, porquanto são réprobos.
104.         Recorda-te, então, do profeta Báb que, com a Minha autoridade, exortou os persas com uma elucidativa mensagem, e disse-lhes: Ó persas, escutai a mim; eu venho da parte de Deus para vos admoestar dos vossos desvios e das vossas dissimulações. Lembrai-vos da graça do Senhor, o vosso Deus, para convosco e obedecei-me.
105.         E os insubmissos entre os maometanos o escarneceram e o condenaram à morte; porquanto eram depravados.
106.         E dissemos-lhe: Ó Báb, não temei as hordas satânicas, porque o teu Senhor estará contigo e nada te sucederá.
107.         E quando os perversos o fuzilaram da primeira vez, a ele e a um submisso íntegro que o protegera com a própria vida, Nós os preservamos das balas dos fuzis; embora fossem tantos projéteis que o céu se escureceu com as pólvoras das armas humanas; pois isto é fácil para Deus;
108.         E o transportamos para outro lugar, onde o colocamos em segurança e comodidade. Mas Báb disse ao teu Senhor, ó Manifestante: Ó Senhor meu, eu não temo as falanges satânicas. Deixai que elas venham e deixai que eu me torne um mártir da Sublime Causa. Glorifica-me, assim como eu Te glorifico, ó meu Deus e Soberano.
109.         E Eu o glorifiquei, trazendo-o para junto de Mim; ele e o submisso virtuoso que não o abandonara às hordas satânicas;
110.         Abençoado seja Báb, o Mestre dos Mártires, entre os Meus Profetas!
111.         E os depravados os fuzilaram pela segunda vez, ó Manifestante, jubilando-se da malversação, embora tenham acertado apenas os seus corpos; pois ambos foram preservados por Nós no último segundo de qualquer dor.
112.         Não é certo, que no Meu Dia, Eu vingarei os Meus Profetas?
113.         Eis o Dia Inescapável onde a Minha Ira fará justiça aos Meus Mensageiros.
114.         Ai, portanto, no Meu Dia, dos insubmissos.
115.         E quando o teu predecessor, Bahá'u'lláh, exortou novamente os persas, dizendo-lhes: Sou um Manifestante da parte de Deus, escutai-me e obedecei-me;
116.         Foi, novamente, combatido e escarnecido pelos maometanos e pelos bábis; e uma das serpentes injetou veneno em suas veias, porém, extraímos a peçonha do seu corpo e o preservamos da morte;
117.         E o amparamos dos malfeitores que o aprisionaram e o maltrataram, e o guiamos até Acre, onde repousou na senilidade escudado pelo teu Senhor.
118.         Não é certo, que no Meu Dia, Eu punirei com o fogo eterno e abrasador, aqueles que combateram as Minhas Manifestações?
119.         E Eu convocarei os ídolos dos depravados, um por um, no Dia do Juízo, para testemunharem contra eles;
120.         E direi: Ó Jesus, filho de Maria, este humano tem defendido que Eu sou o teu Pai e que tu és o Meu filho; e que Nós formamos um só Ser;
121.         E Me dirá Jesus, o Meu Ungido: Ó Senhor meu, Tu, melhor do que todos, é testemunha de que ao Teu Ungido coube unicamente a admoestação da Tua Sagrada Unicidade. Estou isento de tudo quanto me atribuem e Te atribuem, os idólatras. Que a Tua Ira os purifique, por tudo quanto idolatrarem.
122.         E Eu também convocarei: Ó Maria, mãe de Jesus, este humano tem dito que tu és a Minha mãe e a Minha esposa;
123.         E Me dirá Maria, a Virtuosa: O Senhor sabe o que eu ignoro. Tenho proclamado apenas a Sagrada Luz da Tua Unicidade, porquanto sou uma submissa iluminada e almejo figurar entre as virtuosas. Jamais militei entre as idólatras. Que o Senhor, o meu Deus e Soberano, os puna por suas depravações idolátricas.
124.         Por acaso, Eu considerarei os submissos tal como os trinitários? Como apurais assim? Não meditais?
125.         Sabei que os submissos jamais serão como os trinitários, e os trinitários nunca serão como os submissos; a um grupo será dado o legado da Minha Promessa, ao outro grupo, entretanto, a herança da Minha Maldição.
126.         Ai, portanto, no Meu Dia, dos idólatras.
127.         E eles te dirão: O que almejas com este Manifesto? Criar uma nova religião? O andreísmo?
128.         Dize: Que Deus nos preserve, a mim e aos meus súditos, da idolatria e do culto à personalidade humana, angelical ou geniosa. O que eu proclamo é a Religião de Deus, que existe desde o princípio e que se resume a submissão absoluta à Sua Glória. Exaltado acima de todos os ídolos da Terra e dos Céus seja o Senhor, o meu Deus, mesmo que um destes ídolos seja eu.
129.         Dize: Repudio em nome do Senhor, todas as tentações de Satã. Estou isento de qualquer idolatria daqueles que vierem depois de mim, pois, verdadeiramente, eu anuncio para todo o Universo: Há apenas um Deus; o Uno, o Verdadeiro, o Absoluto.
130.         Dize: Que os submissos, pois, se submetam à Deus e jamais idolatrem quem quer que seja, entre anjos, gênios e humanos.
131.         E Eu dou testemunho, ó Manifestante, que Eu te preferi, a ti e aos teus súditos, dentre os teus contemporâneos, com a admoestação deste Santo Manifesto; que exorta, com uma mensagem lúcida e sábia, a humanidade no combate à Mamom; e que previne todo submisso leal ao teu Senhor, da perfídia dos opressores humanos; da perversidade dos Nossos inimigos.
132.         E Eu dou testemunho, ó Manifestante, que tu és um libertador de almas; porquanto ages entre os seres humanos através de Meu beneplácito.
133.         E Eu dou testemunho, ó Manifestante, que Eu não te fiz para santo, outrossim, tu serás um combatendo porfiado contra o partido de Satã; és o Meu leãozinho indomável, cujo o rugido amedrontará os idólatras;
134.         E eles saberão o que os aguardará no Meu dia.
135.         E Eu dou testemunho, ó Manifestante, que as tuas alvíssaras unificará os ocidentais e os orientais na Sublime Causa, e eles repudiarão as suas depravações idolátricas e se converterão em Minha Unicidade;
136.         Porquanto não há lógica em seguir deuses humanos, que nada criaram nos Céus e na Terra, e que jamais poderão socorrê-los no Meu Dia;
137.         Então, Eu agraciarei os teus súditos no Ocidente com o Meu Império. Eu os congregarei numa só Pátria; redimida, unida, orgulhosa, poderosa e temente, cujo o Senhor, o teu Deus, será a Coluna e a Muralha.
138.         E cujo exemplo de luta e abnegação servirá para outros povos libertos no levante, do qual também os agraciarei com o Imanado da submissão.
139.         E os Meus súditos, libertados das garras do partido de Satã, gritarão, em uníssono: Todas as glórias das nossas Pátrias e dos nossos Países pertencem à Deus, o Soberano dos Mundos. Glorificado seja Deus, o nosso Libertador. Louvado seja o Senhor do Universo. Que a Sua bênção esteja sobre o Seu Manifestante.
140.         E Eu te fiz o mais jovem desperto entre os Mensageiros do Livro que serviam, antes da Minha remissão, à insubmissão; nisto consiste a Minha munificência, pois Eu sou o Compassivo, o Piedosíssimo.
141.         E eles te inquirirão: Almejas, assim, tornar todos os seres humanos submissos à Deus?
142.         Dize: Ó insubmissos, eu sou tão somente um mortal, como vós. Se o meu Senhor, sendo Onipotente, não vos ampara, o que eu poderei fazer? Deus encaminha quem Lhe apraz e desvia quem Lhe convém. Não atentais?
143.         Dize: Para mim foi dada unicamente a alvissara da Manifestação de Deus; e só crerão os seres humanos que Ele der discernimento e amparo, porquanto é o maior dos amparadores.
144.         Dize: Poderá acontecer, ó insubmissos, que nos últimos suspiros de vossas vidas, se recordem destes sinais milagrosos e os aceitem; então, poderíeis encontrar uma barreira intransponível para as vossas remissões. Não meditais?
145.         Dize: Que os sensatos, pois, não retardem na submissão absoluta do Senhor, e que permaneçam em Sua senda.
146.         E os renegadores te dirão: Qual! És, verdadeiramente, servo de Satã. E quereis, apenas, desviar-nos das nossas idolatrias.
147.         Dize: Entre eu e vós, eis que o Senhor, o meu Deus, é a Testemunha que eu não sirvo ao genioso Satã, outrossim, sou servo do Soberano dos Mundos;
148.         E, se continuarem a te escarnecerem, dize-lhes: Se sou servo de Satã, o caído, então que o Senhor, o meu Deus, me puna. Entretanto, se sou servo do Senhor do Universo, então que Ele me faça justiça contra os meus desmentidores;
149.         E, se continuarem te acusando, dize-lhes: Quem entre nós é o servo de Satã? Eu, que invoco unicamente o Deus Uno e Verdadeiro; ou vós, que invocais o ídolo forjado por Constantino?
150.         Dize-lhes ainda: E quem, entre nós, despreza a Legislação Sagrada de Deus? Então, pois, quem entre nós serve ao genioso Satã? Sois, por acaso, dementes? Ou é que sois partidários da idolatria? Porventura, não raciocinais?
151.         E, se continuarem a te escarnecerem, como escarnecem de Jesus e de Maomé, ou como escarnecem de Báb e de Bahá'u'lláh, recorda-te que eles jamais te prejudicarão, como também não prejudicaram os teus antecessores; senão, insensatos e soberbos, prejudicam a si mesmos, invocando sobre as suas cabeças a Minha maldição.
152.         Não é certo, ó humanos, que no Meu Dia, Eu farei justiça aos Meus Mensageiros?
153.         E não é certo, ó humanos, que no Meu Dia, Eu punirei os desmentidores dos Meus sinais com o fogo do tormento?
154.         Dize: Ó insubmissos, por que avacalhais com aquilo que consideramos sagrado? Não raciocinais? Nem temeis?
155.         Eis que a morte é o castigo para os profanadores, porém, a punição da outra vida será ainda mais calamitosa.
156.         Sabeis, ó humanos, que no Meu Dia, os Nossos inimigos sofrerão uma afrontosa punição, por tudo quanto as suas bocas falaram e por tudo quanto as suas consciências manifestaram;
157.         E se erguem, atrevidos e orgulhosos, contra os Meus Profetas.
158.         Quão terrível é o que os aguardará por tudo quanto professaram.
159.         Por acaso, considerarei as ideologias humanas acima das Minhas Leis e dos Meus preceitos? Porventura, as concepções mundanas são superioras aos Meus comandos? Como julgais assim? Não meditais?
160.         Dize: Ó insubmissos, se julgais que as vossas liberdades de expressões vos dão o direito de escarnecerem das Manifestações de Deus e dos seus Profetas, sabeis, ó malditos, que chegará o Dia em que vós serieis congregados e esbofeteados por anjos austeros e formidáveis, punidores de homens, por tudo quanto disseram; e sabeis, ó execrados, que chegará o Dia em que vós tereis as vossas bocas coladas, tal como ferro fundido e incandescente, por tudo quanto profanaram.
161.         É a vossa liberdade de expressão mais sagrada que o Senhor, o vosso Criador?
162.         Sabeis, ó humanos, que logo veríeis com os vossos próprios olhos as Minhas chamas subirem, como piras flamejantes; então, Me dirão arrependidos os desleais, por tudo quanto ousaram profanar: Melhor seria se o Senhor nos tivessem criados surdos, mudos e cegos.
163.         E Eu te agraciei, ó Manifestante, com este Santo Manifesto, escrito e revelado na mais rica e atrativas das línguas, com letras purificadas e libertas de idolatrias, para a exortação dos extraviados e para que os seres humanos tornem a se recordar do Meu Dia; e para que não desmintam que serão congregados à Mim, no Meu Juízo;
164.         E neste Livro-selado há sinais alegóricos e profundos, no intuito de confundir os hipócritas; e há sinais límpidos e objetivos, como exemplos para os judiciosos.
165.         Poderá acontecer que, um dos teus súditos, entre os submissos e as submissas que seguem a orientação deste Livro Santíssimo, te inquiras: És, genuinamente, o Manifestante de Deus. Abençoa-me, pois, a mim, a minha família e aos meus parentes, com a graça que o nosso Senhor te deu;
166.         Dize: Ó irmão (ou irmã), quereis invocar sobre mim a Ira do nosso Senhor? Sou tão somente um ser humano, como tu, então, por que pedes a minha bênção? Estou isento das tuas ilusões e fantasias idolátricas. Rogai o perdão de Deus, o nosso Senhor, e só a Ele te submetas.
167.         Dize: Ó irmão (ou irmã), não sigais os exemplos dos povos depravados, que se submetem a padres, pastores, rabinos e clérigos, em vez de se submeterem à Deus; porquanto estes estão em evidente erro e desvio.
168.         Dize: Deus! Não há outro deus além d´Ele. Glorifica-O e roga por Sua bênção, pois somente Ele poderá te abençoar. Se pedires a bênção dos seres humanos, sinceramente, te encontrarás entre os extraviados. Mesmo que peças ao teu pai e a tua mãe; e mesmo que peças aos Seus Mensageiros. Há apenas um Deus! E só a Ele volvas a tua face.
169.         Dize, ó submissos: Que o Senhor, o meu Deus, me abençoe; porquanto é o único destinador, agraciador por excelência.
170.         Dize: Ó humanos, não tomei o exemplo dos povos depravados como lição, que superestimam os seus ídolos humanos. Toda pompa e graça pertencem à Deus, unicamente.
171.         Ó Manifestante, recorda-te de quando dissestes a um cristão: Todas as coisas são relativas, tirante Deus, o Supremo;
172.         E o cristão te disse: Até Deus é relativo;
173.         E pensastes: Ai dos idólatras, pois não possuem amparo algum de meu Senhor.
174.         Eis como Eu te evidenciei a insubmissão dos infames, ó Manifestante; quão caprichosos e vacilantes são os adoradores da cruz.
175.         E dizem: Deus teve um filho unigênito.
176.         Dize: Ó idólatras, como julgais assim? Por acaso conheceis a Excelsa Substância de Deus? Tens, porventura, conhecimento sobre o incognoscível? Ou repetes apenas os versos de Satã, professando o que ignorais acerca da Natureza Sublime?
177.         E dizem: Deus disse no testamento romano que Jesus é o Seu filho querido;
178.         Porém, em verdade, se a Minha Voz ecoasse dos Céus em direção aos homens, cairiam todos inertes, pulverizados e espalhados, como cinzas ao vento. Não meditam os seres humanos os absurdos que os depravados fabricam? Em verdade, Eu obliterei com as suas consciências, da sorte que os idólatras só professam extravagâncias.
179.         Dize: Qual! Exaltado seja Deus, acima das depravações idolátricas que Lhe nomearam uma prole;
180.         Dize ainda: Deus não tem filho;
181.         Dize ainda: Deus não tem mãe;
182.         Dize ainda: Deus não tem esposa;
183.         Dize ainda: Deus não tem parceiros na Soberania dos Mundos;
184.         Dize ainda: Glorificado seja o Senhor do Universo, o Imutável e o Indivisível, acima de tudo quanto Lhe associam;
185.         Dize ainda: E louvado seja o Soberano dos Mundos!
186.         E recorda-te quando, ao iniciar a Minha revelação para ti, Eu te disse: Terás autoridade espiritual e predomínio material sobre os demais seres humanos. Aqueles que te combaterem, combaterão à Mim; e aqueles que te renegarem, renegarão à Mim; ai, portanto, dos Nossos inimigos;
187.         E tu Me dissestes: Ó Senhor meu, abdico, em Teu Nome, de qualquer predomínio sobre os meus irmãos;
188.         E Eu te perguntei: Abdicas do que é de direito dos Meus Profetas? Tal é um termo inaceitável;
189.         E tu Me dissestes: Ó Senhor meu, eu sou apenas um homem que, embora agraciado com o Teu Verbo e com o Teu beneplácito, continuo a ser exclusivamente um homem, falho e vacilante; porquanto esta é a minha débil natureza. Se me deres tal autoridade e predomínio sobre os meus irmãos, é provável que o poder me consuma e é certo que eu desviar-me-ei da Tua senda;
190.         E tu Me dissestes: Porque eu tenho plena ciência das Minhas imperfeições e das Minhas limitações. Tu, ao contrário, ó meu Soberano, é o Perfeito, o Ilimitado, o Primoroso e o Imutável. Conceda, pois, a nós, os Teus servos, que somos mutáveis, o discernimento e a sabedoria da Tua orientação e guia-nos até a glória da Tua senda;
191.         E tu Me dissestes: O que eu almejo é unicamente a minha remissão e a remissão da minha raça em Tua gloriosa senda. O que eu desejo é ser o Teu instrumento, propagador da justiça entre os meus irmãos e irmãs. Que o Senhor, pois, me agracie com a percepção e com a bravura, e que me conceda a Sua Comunidade; unifica, temente e orientada na verdade, na equidade e na submissão sobre a Terra;
192.         E tu Me dissestes: Ó Senhor meu, dai-me um Livro Lúcido e Impenetrável, para que o Teu Verbo seja um conforto para qualquer criatura que o contemple; e para que todo submisso tenha um fortim contra as investidas ideológicas de Satã e das suas legiões de desmentidores; porque só Tu és o Prudente, o Sapientíssimo.
193.         E Eu te disse: Serás, então, agraciado entre os equânimes, e serás dos contemplados;
194.         E Eu te disse: Todavia, ó Manifestante, tu não poderás fugir das responsabilidades que Eu te determinarei. Eu te elegi entre os teus contemporâneos e te serão decretadas a completa retidão e a absoluta disciplina em Minha senda. Temei-Me e obedecei-Me, ó Manifestante, e sabei que Eu sou o mais Sinistro em aplicar o castigo;
195.         E Eu te disse: Minha Luz será o teu Oriente e o Meu Verbo o teu Levante; porém, sabei, ó Manifestante, que tu és o guiador de teu próprio destino. E, no dia em que o teu coração sucumbir à maldade, à falsificação e à corrupção, será o dia em que estarás condenado a um castigo severíssimo de fogo; disto não duvides;
196.         E Eu te disse: Tu te erguerás contra um mundo pervertido, que te combaterá impiedosamente em nome da insubmissão e da idolatria. Este é o preço invariável que todo profeta da Unicidade tem que pagar, ó Manifestante, porque os humanos são réprobos, naturalmente ingratos;
197.         E Eu te disse: Absorves, então, em tua alma, a Minha admoestação, inteiramente, e fortifica o teu coração em Minha Causa; porque tu serás um conquistador de almas e um defensor dos oprimidos, e contigo estarão os Meu anjos e os Meus gênios;
198.         E Eu te disse: E, se mantiveres o temor à Mim ativo em tua consciência, Eu te preservarei da maldade, da falsificação e da corrupção dos Nossos inimigos;
199.         E Eu te disse: Quanto aos Nossos inimigos e aos Nossos desmentidores, deixai que celebrem e se regozijem, até o tempo em que Nós os aniquilaremos com o aviltamento.
200.         Dize: Ó humanos, eu não venho professar a paz, mas o levante do Senhor, a luta armada contra as conformidades idolátricas da humanidade; porquanto a paz promulgada nas mãos dos asseclas de Mamom, o deus-dinheiro, é, senão, escravidão e barbárie. Que os submissos à Deus me sigam nesta árdua tarefa e se armem com a submissão verdadeira; e que se preparem para a batalha vindoura, seja ela espiritual ou material. Porquanto a luta vitoriosa pelo Imanado da Lei e pela Pátria da Equidade quererá sacrifícios e martírios. Benditos sejam os Seus paladinos e abençoados sejam os Seus imanes; servos que compõem, corajosamente, a Armada Invencível contra o partido de Satã.
201.         E Eu te juro, ó Manifestante, por Minha Vida, que Satã, os seus partidários e as suas ideologias predatórias, sucumbirão no levante.
202.         E eles te dirão: Ora, se és o Manifestante de Deus como afirmais, então, que nos apresente uma prova evidente.
203.         Dize: Tenho vos apresentado lúcidos sinais que proclamam a Unicidade Sagrada de Deus, porém, se descrerem, esperai até o Dia Infalível, cujas escusas não serão toleradas, e eu aguardarei convosco. Então, saberíeis, tardiamente, ó insensatos, quem entre nós é o orientado e quem entre nós é o extraviado;
204.         Dize: Deus! Não há outro deus além d´Ele; o Uno, o Verdadeiro, o Absoluto.
205.         Dize: Será o Dia em que a Trombeta de Rafael soará retumbante, erguendo os seres humanos dos seus sepulcros e convocando-os à Deus, para o Seu Sagrado Juízo. As montanhas desmoronarão, os prédios ruirão e a Terra ficará plana e desértica. Então, ó insensatos, o que vós diríeis diante do Trono da Sublime Unicidade, carregado por uma comitiva de anjos, quando constatares que não há outro deus além do Senhor?
206.         Dize: Seus anjos da guarda, os Seus Profetas e os Seus Mensageiros, testemunharão contra as vossas idolatrias e contra as vossas insubmissões; as vossas bocas e as vossas mãos denunciarão tudo quanto vós manifestastes e tudo quanto ocultastes na Terra; porquanto Deus, o Justo, não defraudará nenhuma alma.
207.         E eles te dirão: Qual! Deus é trino.
208.         Então, perguntai a eles no que consiste tal trindade;
209.         E alguns te dirão, aturdidos, que a trindade é três facetas distintas de um ser: o pai-filho-espírito;
210.         Outros te dirão, confusos, que a trindade consiste em dois deuses, o pai e o filho, e que o espírito é a vontade de ambos;
211.         Haverá também aqueles que te dirão, abstrusos, que a trindade não é mais que, na verdade, uma unicidade, onde o mesmo deus age de três formas diferentes;
212.         E haverá ainda uma quarta vertente de extravagantes, que te dirão, convictamente, que a trindade, na realidade, se baseia no deus-pai, na deusa-mãe e no deus-filho;
213.         Assim Eu te evidencio as tolas fantasias dos idólatras, e assim Eu te revelo as inúmeras cismas confabularias dos insubmissos;
214.         E se digladiam, tentando comprovar uns para os outros, o inadmissível;
215.         E não se atentam que todas as suas tolas ilusões e todos os seus dogmas pueris os fazem caminharem, senão, com passos largos, para o calamitoso tormento de fogo perene.
216.         E Eu os separei em inúmeras cismas e incontáveis seitas, que disputam entre si o erro e o extravio, e concorrem, verdadeiramente, ao pior dos castigos!
217.         Observai as cismas dos adoradores da cruz; como uma seita (protestante) diz para outra seita (católica) rival: Sois idólatras, pois adorais aos santos e às imagens; a outra seita rebate, dizendo: Sois hereges, pois renegais a mãe de Deus, a virgem santíssima.
218.         Olha como se reprovam e se ofendem mutualmente, ó Manifestante, e julgam-se certos, embora, estejam todos em insubmissão;
219.         Porquanto a transgressão está em atribuir-Me parceiros e nomear-Me semelhantes; e porque são, genuinamente, filhos de uma mesma ideologia satânica, urdidas por idólatras e por apócrifas!
220.         Observai como os idólatras são covardes e submissos às conformidades idolátricas da humanidade, porquanto são medíocres e inimigos, declarados, da Minha Unicidade; as perversas ideologias satânicas algemaram as suas mãos e anuviaram com as suas consciências e ei-los aí, atribulados por todas as vias na vida terrena, escravos das suas próprias afeminações;
221.         Jamais te portais como os idólatras, amedrontados, ó Manifestante, porque Eu te fiz um combatente porfiado contra o partido de Satã; e mesmo que te leve ao martírio, cumpre com a tua obrigação, integralmente, até o último suspiro da tua vida!
222.         Sabei que o verdadeiro submisso é aquele que doa a sua vida e os seus bens; não para o seu próximo, mas para Mim e para a Minha Glória;
223.         Sabei que o que realmente almejam os adoradores da cruz é a escravização espiritual do Meu rebanho, sugando tudo quanto possuem de valioso em suas vidas, usurpando-lhes e entesourando as suas riquezas em nome de Mamom, embora, perfidamente, invoquem o Meu Nome, profanando-O e ludibriando os inócuos;
224.         Sabei que os cristãos, em sua esmagadora maioria, lutarão insistentemente pela conservação das conformidades idolátricas da humanidade; e embora existam alguns elementos mais avançados entre eles, sinceros de corações e lisos de espíritos, que tentam de todas as formas reformar a ideologia cristã e racionalizá-la; estes são como os cães que buscam desesperadamente pelos próprios rabos;
225.         Porquanto que a razão monoteísta jamais comungará com a irracionalidade idolátrica das bestas; e porque na adoração à cruz, como em todas as outras seitas ideológicas urdidas pelos seres humanos, os idólatras servem, verdadeiramente, à ganância exploratória e opressiva do partido de Satã.
226.         Os mais elevados entre os cristãos dizem dos mais oportunistas entre os seus pares: Por que não compreendem o Evangelho (o testamento romano)?
227.         Qual! Adoram uma ilusão satânica, porém, iludidos, ainda não perceberam;
228.         Dize: Exaltado seja Deus, o Verdadeiro, o Fidedigno!
229.         Sabei que a submissão à Deus é a única fidelidade verdadeira; e tudo tirante a devoção à Deus, o teu Senhor, é extravio e ilusão!
230.         Como então, ó cristãos, chegando as Minhas Evidências e a Minha Manifestação até vós, que desmascaram com as perfídias dos vossos líderes, desmentiríeis este Manifesto? Não raciocinais?
231.         Sei que é demasiadamente frustrante perceber que fora ludibriado pela doutrina satânica dos mendazes durante toda a vida terrena; porém, Eu ofereço-vos a Luz radiante da remissão, como então, permaneceríeis nas trevas do engano, cultuando o ídolo mundano forjado pelos depravados e oportunistas? Não pensais?
232.         Não sejam, pois, dos orgulhosos; porquanto Eu não resguardarei os insipientes!
233.         Ó Manifestante, os cristãos se extraviam da Minha senda porque são negligentes com a Palavra de teu Senhor, e porque acreditam em tudo quanto os seus líderes perversos fabricam;
234.         Observai um culto do povo depravado e verás, com os teus próprios olhos, do que são capazes os lobos vorazes em nome da depravação de Mamom;
235.         Por acaso, terei Eu misericórdia dos malfeitores e dos profanadores no Meu Dia?
236.         E dizem: Jesus me revelou em sonho que é o nosso Deus;
237.         Qual! Em verdade, não fazem mais que seguirem gênios sussurrantes; uns rebeldes, que Me desprezam e Me combatem; outros tementes, que testam, a Meu mando, a fé dos seres humanos quanto as suas superstições.
238.         Deixai, ó Manifestante, que os idólatras e os insubmissos, assoberbados da tua exortação, se extraviem da Minha senda;
239.         E deixai que os extraviados gracejem das Minhas alvíssaras até o termo pré-fixado, onde as suas ilusões os condenarão.
240.         Tal é o desamparo que Eu ofereço aos insubmissos.
241.         Dize: Qual! Deus é o Único, o Imutável, o Incomparável e o Indivisível.
242.         Dize: Ó submissos, eis que a trindade é, ao contrário do que professam os idólatras, uma ideologia satânica;
243.         Dize: Ó submissos, não esqueçais do nefasto Ninrode (o pretenso deus-pai), de Semíramis (a pretensa deusa-mãe e sinal da pomba) e de Tamuz (o pretenso deus-filho, salvador da humanidade e sinal da cruz). Eis aqui a trindade formada e professada no Médio-oriental pelos seres humanos; porquanto a humanidade é reincidente na mentira e acintosa na falsidade;
244.         Dize ainda: Ó submissos, não esqueçais do nefasto Pacha Kamaq (o pretenso deus-pai), de Pacha Mama (a pretensa deusa-mãe) e de Apu Inti (o pretenso deus-filho). Eis aqui a trindade formada e professada no Baixo-ocidental pelos seres humanos; porquanto a humanidade é reincidente na mentira e acintosa na falsidade.
245.         Ai daqueles que dizem: Sou uma sacerdotisa da deusa Tríplice; ou, ainda dizem: Sou um sacerdote do deus Cornífero;
246.         Pois herdarão as piras chamejantes, que jamais deixarão de queimar!
247.         Dize: Glorificado seja Deus, o Uno, o Supremo, o Prodigioso; pois não há outro deus além d´Ele!
248.         Alguns idólatras dizem: A trindade não existe; o pai, o filho e o espírito não são três facetas de um mesmo deus, mas uma unicidade; o mesmo deus que atua como lhe apraz.
249.         Rebeldes insensatos! A transgressão à Deus não está apenas no fato de adorar uma falsa trindade divina em detrimento de uma pretensa unicidade, mas em atribuí-Lo parceiros ou semelhantes, em equiparar o homem à Deus; pois Deus é o Incomparável. A transgressão está na blasfêmia de alegar que Deus morreu na cruz por mãos mortais. A perdição está na alegação que Deus se fez homem para redimir as transgressões dos seres humanos; uma vez que o Clemente abomina sacrifício humano e porquanto somente o próprio homem poderá redimir as suas próprias transgressões, através da verdadeira Religião e da submissão aos comandos do Senhor.
250.         São blasfemos os que dizem: Deus é um em três; ou, ainda, dizem: Deus é três em um;
251.         E serão punidos com um fogo que jamais cessará!
252.         Repara, pois, como a abominação cristã tenta perverter até mesmo a mais exata das ciências humanas (a matemática);
253.         E quão doloroso será o castigo destinado no Inferno para todo ser humano desvairado, aloucado!
254.         Ai daqueles que dizem: O homem (o Cristo) lá de cima nos ajudará;
255.         Pois serão açoitados com chicotes penetrantes, torturantes!
256.         São aqueles que dizem: Nossos entes queridos estão nos Céus, velando por nós;
257.         Qual! Se pudessem visualizar os Campos dos Flagelados;
258.         Veriam então os seus entes queridos aprisionados, em pelourinhos enfileirados e em aviltantes castigos, chicoteados diuturnamente por anjos formidáveis; porquanto o Senhor, o teu Deus, jamais perdoará uma geração idólatra, que nomeia parceiros à Ele!
259.         Eles te dirão: Jesus é Deus; porque está escrito: Ele é Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Senhor da Eternidade e Príncipe da Paz;
260.         Porém, o teu Senhor, com este exemplo, apenas glorificou o Seu Manifestante, porquanto é o Agraciador, o Dadivosíssimo; por outra, os idólatras, com este exemplo, endeusaram o seu ídolo, porquanto são rebeldes; e porque são os extravagantes mais delirantes que existem;
261.         Assim, o teu Senhor encaminha os sensatos à Sua senda gloriosa; e, outrossim, Ele descaminha os insensatos na vida terrena; porquanto é o Soberano, o Reinantíssimo!
262.         E te dirão: Jesus é Deus, e não há salvação fora da cruz;
263.         Dize: Então, ó insensatos, pregais que os Seus Profetas e os Seus submissos que creram no Livro-matriz antes da vinda de Jesus, ou que receberam as Revelações Progressivas depois da sua ascensão, estão condenados? Como apurais assim?
264.         Dize: Porventura era Adão, Sete, Enoque, Matusalém, Noé, Sem, Jafé, Cam, Canaã, Elião, Abraão, Ló, Eliel, Ismael, Isaque, Midiã, Suá, Ariel, Jacó, José, Moisés, Aarão, Natanael, Josué, Samuel, Davi, Salomão, Elias, Eliseu, Jó, Isaías, Jeremias, Daniel, Zorobabel, Malaquias, Zacarias (pai de João), João, Jesus, Maomé, Báb e Bahá’u’lláh cristãos? Como julgais assim?
265.         Dize: Qual! Eram todos servos de Deus e submissos à Sua Sublime Causa; jamais figuraram entre os idólatras; nunca se prostraram diante de monumentos de terceiros, de imagens ou de estátuas.
266.         Então, verás eles se separarem novamente, confusos e atordoados, conspirantes e sussurrantes, em cismas confabularias e dogmas extravagantes, cada um tentando explicar-te o inexplicável de um jeito diferente.
267.         Dize: Qual! Não há salvação fora de Deus, o Único, o Laudabilíssimo.
268.         Dize: Ó submissos, os idólatras e os insubmissos vos vendem, mutuamente, apenas vãs ilusões! Não atentais?
269.         São blasfemos os que dizem: Jesus possui a essência de Deus; ou, ainda, dizem: Jesus tem a substância de Deus;
270.         E serão severamente açoitados nos Campos dos Flagelados e, no Dia da Ira, laçados no Inferno de fogo, por cada ataque que fazem contra a Luz da Unicidade!
271.         Dize: Há apenas um Deus; e exaltado seja o Seu Nome!
272.         E, se eles teimarem em te dizer que Jesus sou Eu ou que é o Meu filho unigênito, possuindo a Minha Substância;
273.         Dize-lhes: Ó hipócritas, se Jesus é Deus ou se Jesus é o Seu filho unigênito, então prego ou lança alguma seria capaz de lhe perfurar o corpo. Como, pois, defenderíeis a crucificação de Jesus? Não atentais?
274.         Qual! Há apenas um Deus, o Inatacável, o Imperturbável!
275.         Dize-lhes: O vosso senhor é o deus-morto, ó depravados, e o meu Senhor é o Deus Vivo;
276.         Dize-lhes ainda: O vosso deus morreu na cruz, humilhando por mortais num corpo humano que fora violentado por pregos e por uma lança; que execrável, que abominável! E, em contrapartida, o meu Deus é tão glorioso que nem mesmo todo o Universo é capaz de contê-lo; o Intangível, o Infinito;
277.         Dize-lhes ainda: Então, pois, quais dos dois é o Deus Uno e Verdadeiro? Sois, por acaso, débeis mentais? Ou é que sois dos idólatras? Porventura, não meditais?
278.         Porém, se nem mesmo isto for suficiente para satisfazer os extravagantes;
279.         Dize-lhes: Sabeis, ó partido de infames, que um ser humano nunca será Deus e Deus nunca será um ser humano;
280.         E aparta-te dos idólatras, ó Manifestante, porque o teu Senhor jamais será suficiente para eles!
281.         Então, quando tu os exortardes do fogo torturante que os aguardará no Meu Dia, eles se alarmarão com as tuas alvíssaras, porque serão desmascarados em suas hipocrisias e em suas fantasias;
282.         E conspirarão contra ti, ó Manifestante; e Nós, da Nossa parte, planejaremos contra eles!
283.         Sabei que os idólatras te odiarão enormemente, ó Manifestante, e Nós, da Nossa parte, os abominaremos na mesma proporção.
284.         Recorda-te do sacrifício de Sansão ante os adoradores de Dagom que, embriagados pela empáfia idolátrica, escarneciam do seu Voto Perpétuo e da Nossa Submissão;
285.         Disse-Nos: Ó Senhor meu, dai-me forças para que eu possa aniquilar com os Teus inimigos. E não deixeis que o meu sangue escorra em vão pela Terra;
286.         Sabei que para cada submisso combatente que sucumbir na Sublime Causa de teu Senhor, Nós destinaremos ao fogo do Inferno um milhar de idólatras;
287.         Assim Nós puniremos severamente os Nossos inimigos; e ninguém, nos Céus ou na Terra, lamentará os seus castigos!
288.         E poderá acontecer que, entre os caprichosos e os vacilantes dos adeptos do Livro, venham a te propor: Tolerai os idólatras, porque Deus é o Misericordioso, o Paciente;
289.         Dize: Ó adeptos do Livro, porventura, eu negociarei à vil preço a orientação de meu Senhor, eu e os meus súditos? Não pensais?
290.         Dize: E disse-me o Soberano dos Mundos: Ó Manifestante, tolera pacificamente as deslealdades dos insubmissos, dos idólatras e dos ególatras, se eles não te combaterem, até o prazo pré-fixado pela Minha misericórdia. Porém, se te combaterem, a ti e aos teus súditos, sustenta o fogo inimigo até o prazo determinado em que Nós os aniquilaremos, como aniquilamos os seus antepassados. Juro-te pelo Meu Espírito: o partido de Satã e os seus militantes jamais triunfarão sobre o Meu Manifesto, a Lança da Minha Vitória.
291.         Dize: Assim me prescreveu o Senhor, o meu Deus, a mim e aos meus súditos, e ser humano algum nos desviará da senda reta da sua orientação.
292.         Dize: Ó adeptos do Livro, dizeis coisas acerca de Deus dos quais ignorais? Não raciocinais? Sabeis que o vosso Deus é Senhor de Ira e de Vingança.
293.         Dize: Por acaso, esquecei-vos de quantos povos, nações e ídolos Ele já exterminou? Não meditais?
294.         Dize: Sabeis, ó humanos, que os caprichosos e os hesitantes entre os adeptos do Livro, sofrerão uma afrontosa punição, porque preferiram o conforto, a diversão e o luxo oferecidos pelo partido de Satã, e não combateram pela Sublime Causa de Deus, quando os depravados declararam guerra contra a Sua Religião;
295.         Considerarei os Meus paladinos e os Meus imanes, aqueles que combatem pelo Meu Nome, tal como os arautos de Satã?
296.         Qual! Sabeis, ó humanos, que um combatente da Sublime Causa jamais será equiparado com um militante de Satã;
297.         Aos combatentes, o gozo do Paraíso de tranquilidades; aos militantes de Satã, os sofrimentos do Inferno escaldante.
298.         E eles te dirão: Qual! És um mentiroso; Deus abomina a violência.
299.         Dize: Verdadeiramente, o meu Senhor abomina a violência dirigida aos inocentes e aos indefesos;
300.         Dize: Entretanto, também prometeu a morte e o castigo em ambas as vidas aos iníquos e aos ímpios.
301.         Dize: Não são os Seus submissos ou a Sua Mão Divina, responsáveis pelas mortes dos malfeitores, opostamente, condenaram a si mesmos com os seus atos perversos. E não encontrarão, em ambas as vidas, protetor nem socorredor algum.
302.         Dize: Eis aqui a orientação do meu Senhor; a edificação de uma humanidade justa e equânime na Terra se dará a partir do contínuo conflito dos Meus partidários contra os partidários de Satã;
303.         Dize ainda: E nenhum hipócrita caprichoso nos desviará da Sua verdade, embora, sem imaginarem, prefiram a paz terrena de Satã e, assim, herdarão o tormento eterno de Deus!
304.         Há entre os seres humanos aqueles que se contentam com as perfídias espirituais e empáfias materiais de Mamom e dos seus adoradores; que os Meus súditos, porém, nunca se maculem, como se maculam os depravados, jactanciosos, na senda da luxúria.
305.         Quão tolas são as ilusões dos vacilantes, ó Manifestante.
306.         Dize: Nós, os submissos à Deus, ao contrário de vós, ó caprichosos e hesitantes, preferimos o combate às conformidades idolátricas dos homens, mesmo que nos leve ao martírio desta vida, porque, o que realmente almejamos é a paz da vida futura, agraciada pelo Senhor, o nosso Deus, aos submissos.
307.         Dize: Eis que a morte abocanhará todos os seres humanos, inevitavelmente; e nós, como os Seus leais servos, preferimos morrer como combatentes em Sua Sublime Causa, do que como pacifistas na maldita causa de Satã.
308.         Ó Manifestante, os extraviados transgridam contra a Lei, desorientados e confusos, porque não se recordam que sou o Senhor de todos os Nomes e Atributos. Na mesma soma infinita em que Eu sou o Misericordioso, também sou o Punidor.
309.         Dize: Eis aqui uma prova elucidativa exortada pelo Soberano dos Mundos; Ele poderia fazer com que todos os seres humanos fossem mansos e benfeitores, pois isto é extremamente fácil para Ele. Porém, Ele vos criou com as vossas naturezas e com os vossos temperamentos, para testar quais de vós são obedientes as Suas Leis e quais de vós são rebeldes;
310.         Dize ainda: Ó humanos, os submissos à Deus estão em permanente confronto contra as suas próprias imperfeições, as transgressões e as conformidades idolátricas dos seres humanos; porquanto a verdadeira paz e tranquilidade só se dará quando o Senhor vos ressuscitar no Seu Dia e agracia-vos com a Sua Promessa;
311.         Dize ainda: E a primeira grande batalha dos seres humanos é para saírem de dentro das suas mães, com vitalidades e, depois, enquanto vão iluminando as suas almas, batalham ferrenhamente contra as inclinações para as maldades, contra as enfermidades, contra as adorações idólatras e contra as venerações ególatras; porque o homem é o maior combatente do partido de Deus;
312.         Dize ainda: E o próprio Manifestante de Deus teve que batalhar contra as suas limitações humanas para receber as dádivas junto ao Trono Glorioso, tornando-se assim num novo homem, mais aprazível aos Olhos de Deus; porquanto o Senhor não desampara os corações sinceros, justos;
313.         Dize ainda: E quem promete a ilusória paz à humanidade é Satã, outrossim, Deus assegura a libertação da humanidade das garras do partido da iniquidade; porquanto é o Irresistível, o Infalibilíssimo;
314.         Dize ainda: E aquele que alcançar a paz material, Deus lhe atacará espiritualmente; e aquele que alcançar a paz espiritual, Deus lhe atacará materialmente; porque a Deus apraz que os Seus submissos combatam tenazmente pela Sua Causa, até os últimos suspiros das suas vidas terrenas.
315.         Dize ainda: Ó humanos, Deus, o meu Senhor e o vosso Criador, vos destinou apenas uma vida terrena e esta será tomada por atribulações e por adversidades; porém, quem combater pela Sublime Causa e perseverar, Deus destinará a verdadeira paz e a legítima justiça nos Seus jardins de delícias.
316.         Ó Manifestante, anuncia para os Meus servos que está prescrita a luta armada, defensiva ou libertária, contra as potestades de Mamom e contra as potências de Satã, desde que seja em causa justa, pelo Meu Nome; sempre que eles conspirarem ou atacarem os Meus súditos, os Meus paladinos e os Meus imanes;
317.         Porém, estão-vos vedados os envolvimentos nos conflitos dos insubmissos e dos idólatras; salvo aqueles com os quais estejais pactuando. E, igualmente, estão-vos vedados os combates simulados, preventivos ou conspiratórios; porquanto Eu abomino os agressores, os malfeitores e os mendazes.
318.         Que os Meus súditos Me obedeçam, e que não se maculem com a falsificação, pois Eu sou o Onisciente e nada se ocultará de Mim.
319.         Que os Meus súditos recordem que a vida terrena é mortal e é apenas uma preparação para a vida futura, que será imortal; que sejam, pois, honrosos, justos e verdadeiros em suas ações junto dos seus semelhantes; porquanto somente os virtuosos e os contritos comungarão com o Meu Espírito.
320.         Que os Meus súditos jamais se associem aos iníquos e aos ímpios; e que se manifestem às injustiças ou às opressões humanas, mesmo que possa custar as suas vidas; será melhor assim, se quereis saber.
321.         Entretanto, aqueles que não se encontrarem aptos para combaterem manifestadamente pelo Meu Nome, fazei-o, então, ocultamente, rogando intimamente pelo Meu amparo e pelo Meu perdão; e não serão descriminados, já que Eu sou o Piedoso, o Misericordioso.
322.         Que os Meus súditos nunca defraudem o peso da balança em favor próprio, em favor dos seus ou em favor de terceiros, e que perseverem na senda da justiça, da verdade e da equidade;
323.         Que os Meus súditos jamais negociem a Minha justiça com os insubmissos, vendendo os vossos votos à ínfimo preço;
324.         Que os Meus súditos tolerem os extraviados e os insubmissos, em tempos de paz, como Eu os tolero; porquanto Eu não me aprazo com a morte de nenhuma das Minhas criaturas;
325.         Porém, se vos agredirem, respondei a agressão até que recuem, se rendam ou se aniquilem;
326.         E, se recuarem ou se renderem os vossos agressores às vossas armas ou à Minha Religião, tornai-vos, portanto, pacificadores; pois o diálogo e a paz serão preferíveis às vossas agressões injustificadas; porquanto Eu não tolerarei a opressão e a violência injustificada dos Meus servos;
327.         Sabei que a paz é preferível à guerra!
328.         Quanto àqueles que declararem guerra à Deus e à Sua Religião, massacrando impiedosamente com os Seus submissos ou com as Suas submissas, caçai-os, julgai-os e matai-os, onde os encontrar; pois, se o combate pela Sublime Causa for negligenciado por vós, ó paladinos e ó imanes, o Senhor vos entregará nas mãos dos escravocratas, que vos escravizarão nas vicissitudes ideológicas do partido de Satã!
329.         Antes de ti, ó Manifestante, Eu enviei outros profetas e mensageiros que, igualmente, exortaram a humanidade com as mesmas cominações que tu os exortas, e disseram-lhes o que Eu os havia manifestado: Não há outro deus além de Mim. Só à Mim depositai as vossas devoções. Não atribuam parceiros junto à Mim, pois aqueles que Me nomearem semelhantes contar-se-ão entre os desventurados.
330.         E tenho prescrito para cada povo e para cada época, um Livro elucidativo e balsâmico para os judiciosos;
331.         Poderíamos, ó humanos, facilmente, congregai-vos numa só nação e fazê-los se comunicarem numa só língua; mas eis que vos segregamos e confundimos os vossos diálogos, separando-vos em inúmeras nações e idiomas, para testar as vossas devoções e para constatar, dentre as vossas pátrias e dentre os vossos compatriotas, quais se manteriam submissos ao Voto Perpétuo;
332.         E quão poucas são as nações e os povos que se amparam em Minha Leis e nos Meus comandos, preferindo, em vez da Minha orientação, as ideologias satânicas e os sistemas seculares dos insubmissos.
333.         Não é certo, que todos as potências anárquicas e todas as potestades rebeldes da humanidade, serão aniquiladas no Meu Levante, antes da consumação dos séculos?
334.         E não é certo, que os Meus renegadores marcharão, humilhados e derrotados, ante o fogo purificador?
335.         Tal será o castigo dos caprichosos, dos vacilantes e dos hesitantes, que doam as suas consciências e as suas ações às ideologias satânicas e aos dogmas seculares, e não se doam em Minha Glória e em Minha Remissão.
336.         E os mais agressivos entre os idólatras, te dirão enraivecidos: Vieste apenas para causar-nos confusão com a tua filosofia e para anunciar-nos as trombetas da guerra santa contra as nossas conformidades? És, na verdade, o Anticristo, e vieste condenar-nos ao aniquilamento.
337.         Dize: Chegará o Dia, ó insensatos, em que os inimigos de Deus e os adversários dos Seus Manifestante, serão congregados e esbofeteados por anjos formidáveis, castigadores de seres humanos e de gênios, por tudo quanto profanaram com as suas bocas; e depois, os anjos lançá-los-ão no tormento eterno, de onde eles jamais sairão.
338.         Dize: Não atentais, ó insensatos, que é a infalível determinação de Deus que vos aniquilará? Tentai enumerar quantos povos ou quantas nações idólatras e rebeldes Ele já exterminou ao longo da história humana, se fordes capazes.
339.         Dize: Em verdade, os servos de Satã são vós, porém, vós não o percebeis, porque Satã abrilhantou os vossos olhos e vós amais os vossos ídolos acima do Sagrado Nome de Deus.
340.         Tal será o castigo dos Nossos profanadores e dos Nossos usurpadores, porque ousaram comparar os Meus Profetas com os arautos de Satã.
341.         Verdadeiramente, ó humanos, o Meu Manifestante é um aliado vosso e é um inimigo declarado do partido de Satã, portanto, não o desmintas, nem desmintais este Santo Manifesto; pois, se os desmentirem, um castigo terrivelmente afrontoso vos aguardará no Meu Dia.
342.         O Meu Manifestante não vos pedirá recompensação alguma por vossas devoções à Mim; outrossim, renegará tudo quanto for estranho as Minhas orientações.
343.         Dize: Ó humanos, Deus abomina e despreza as ofertas insensatas dos idólatras e os dízimos oportunistas dos profanadores; e tudo que Ele vos exige, é o pagamento das vossas oblações caritativas, dirigidas aos necessitados com verdade no espírito e sinceridade no coração. Não sejam, pois, dos insensatos.
344.         Ó Manifestante, em verdade, tu já foste um insubmisso, porém, a tua antiga insubmissão em nada se compara a insubmissão dos sacerdotes depravados, que preenchem as suas contas com as ofertas e os dízimos do povo alienado; todavia, deixai que estes abutres se exultem, provisoriamente, porque logo serão enormemente recompensados da Minha parte;
345.         E que abominosa recompensa será esta, se eles imaginassem!
346.         E os oportunistas te dirão: Ora, prezo pela liberdade e os dízimos e as ofertas dão quem quer, entre os submissos; porquanto o dinheiro pertence a cada um para fazer o que bem quiser;
347.         Dize: Ó insubmissos, porventura permitirás também que um estelionatário prevaleça sobre a ingenuidade de um inocente? Sabeis que os abutres que engordam as suas contas com ofertas e dízimos são ainda mais profanos e criminosos que os estelionatários.
348.         Dize ainda: Ó submissos, combatei a canalha oportunista duramente, até que sua doutrina seja aniquilada do seio humano; porquanto eles servem, verdadeiramente, a iníqua ganância de Mamom e não a equidade do nosso Senhor!
349.         Pagai, ó submissos, as vossas oblações caritativas, periodicamente, aos necessitados; sem mediadores e sem intercessores, porquanto cada alma humana é responsável pelos seus próprios atos!
350.         É inconcebível, ó humanos, que um Mensageiro da Minha parte se apresente como Eu ou como um filho Meu. Embora Eu, os Meus Profetas e os Meus Mensageiros sejamos Nós; um ser humano nunca será como Eu e Eu nunca serei como um ser humano;
351.         E, igualmente, um ser humano nunca terá a Minha Substância, ou a metade da Minha Substância, porquanto Ela é única, é absoluta;
352.         E se qualquer ser humano disser aos seus pares: Em verdade eu sou como Deus, junto a Ele, à Sua direita ou à Sua esquerda; Eu condená-lo-ei ao tormento eterno;
353.         Assim Eu punirei todo usurpador maldito;
354.         Mesmo que seja inaceitável para os idólatras!
355.         Há idólatras que dizem: Renegamos o culto à personalidade humana; não obstante serem eles os seus mais ferrenhos praticantes, cultuando o ídolo forjado por Constantino e cometendo a maior de todas as blasfêmias; a blasfêmia contra a Luz da Unicidade de Deus. Repara, pois, como são hipócritas os idólatras!
356.         Jesus foi um ser humano como qualquer outro, sujeito à fome e às doenças terrenas. Respirou o mesmo ar e se alimentou como se alimenta os demais seres humanos. Jamais houve um profeta de Deus entre os homens que não possuísse a tez queimada pelo Sol e da cor do barro; ou que não fosse um mortal, imperfeito;
357.         Porque Eu sou a única perfeição; quão pouco raciocinam!
358.         E Jesus jamais aceitou o culto à sua personalidade entre os seus súditos, jamais perdoou as transgressões alheias ou professou que os submissos cedessem aos caprichos dos insubmissos; nem se apresentou como um filho unigênito Meu ou como um semideus encarnado, pois isto, realmente, não passa de mitologia romana;
359.         Porém, proclamou, verdadeiramente, ser o Meu servo venerável e admoestou os judeus com o Meu Verbo encarnado, orientado sob o Meu comando; pois veio ao mundo através de um Decreto Sublime que preencheu o ventre de uma donzela virtuosa.
360.         Ou tu achas que, de fato, houve um mensageiro chamado Paulo (ou Shaul) que, com o Nosso beneplácito, exortou os seres humanos com um novo testamento? Quê! Eis que Paulo é apenas mais um ídolo, das multidões de ídolos forjados por Roma, para denegrir a Sublime Natureza de teu Senhor;
361.         Ou tu achas que, de fato, o testamento romano é um livro atinado e lúcido, inspirado por Deus a algum profeta? Quê! Eis que são apenas compilações de apócrifas para atacar o teu Senhor;
362.         Sabei que eles são os Nossos mais escarnecidos inimigos; tratai-os, pois, como inimigos e jamais te associes a eles;
363.         Quão grotescas são as ilusões dos depravados!
364.         Uns dizem: Nós compreendemos o que Paulo professou; outros, ainda, dizem: Qual! Nós é que compreendemos o que Paulo professou;
365.         Porém o teu Senhor testemunha que todos eles se apegam à uma ilusão satânica!
366.         Quer uma prova de teu Senhor de como Paulo é apenas mais um ídolo forjado pela Besta? Porventura não existe uma data comemorativa para este ídolo? E porventura não existem igrejas com o nome deste ídolo? E porventura não existem cidades com o nome deste ídolo? E porventura não existem estátuas em homenagem a este ídolo? E porventura não existem doutrinas e dogmas contrários à Nossa Natureza forjada em nome deste ídolo? Sim!
367.         Dize: Louvado seja Deus, o Prudente, o Sapientíssimo!
368.         Dize ainda: E que a maldição de Deus caia sobre os idólatras!
369.         Sabei que eles sempre guardarão dúvidas inquietantes em seus corações, porquanto seguem ideologias aleivosas urdidas por homens;
370.         Tu, entretanto, ó Manifestante, segues o que te foi inspirado e revelado pelo teu Senhor; o Livro-selado, incomparável e sem precedente no seio da humanidade, que corrobora integralmente com as Revelações Progressivas do Livro-matriz; a dúvida jamais residirá no teu coração!
371.         O que pretendem os usurpadores e os conspirantes, quando defendem, obstinadamente, a preexistência de Jesus, o filho de Maria, antes dele nada ser; senão uma nota profética no Livro da Vida?
372.         Em verdade, não fazem mais que conjecturar!
373.         Sabei que Eu estava sozinho no princípio dos tempos e Eu estarei sozinho no término dos tempos; porque Eu sou, por Mim mesmo, o Opulento, o Louvabilíssimo!
374.         Os idólatras, teimosos, dizem: Jesus foi gerado desde o princípio da Criação, pois Deus disse: Façamos o homem à Nossa Imagem e Semelhança;
375.         Quê! Como apuram assim? Em verdade, não fazem mais que cogitar sobre o que ignoram; quanta insensatez e quanto engano!
376.         Dize: Ora, se Jesus fosse o Deus Uno e Verdadeiro, teria então o Deus Uno e Verdadeiro dito isto para Si mesmo, no plural, uma vez que o Livro-matriz nos ensina que só existe um Único e Verdadeiro Deus; o Indivisível e o Imutável?
377.         Dize ainda: Ou teria o Deus Uno e Verdadeiro dito isto para Miguel, o Portador da Sua Coroa, além da Assembleia Celestial, reunida à Seu Trono para a glorificação da humanidade?
378.         Dize ainda: Quem Deus criou primeiro, ó adoradores da cruz, os anjos ou o homem? O que o vosso Deus ergueu primeiro, ó cultivadores de quimeras, os sete Céus Sobrepostos, o Seu Trono, a Sua Eterna Morada; ou o Universo como nós conhecemos?
379.         Eis uma contemplação sensata, para os que buscam a verdade!
380.         Sabeis, ó submissos, que os idolatras são extremamente violentos quanto as defesas das suas teses idolátricas; e queimarão, eternamente, no fogo abrasador do Inferno!
381.         São blasfemos os que dizem: Jesus é o primogênito da Criação; ou, ainda, dizem: Jesus é o unigênito de Deus;
382.         E são blasfemos os que dizem: Jesus é o homem primordial; ou, ainda, dizem: Jesus é o homem original;
383.         Dize: Exaltado seja Deus, que não tem parceiros ou semelhantes;
384.         Dize ainda: E glorificado seja o Soberano dos Mundos, acima de tudo quanto os delirantes Lhe atribuem!
385.         E este é o Meu Manifesto, inalterado e sereno, inspirando unicamente ao Meu Manifestante; como luz e orientação para os que temem o castigo aziago. Quem quiser, pois, que creia; porém, só crerão se assim Eu permitir!
386.         Dize: Ó submissos, jamais vos portais como os idólatras, porquanto Deus jamais tolerará sacrifícios humanos para a expiação ou para a remissão da humanidade!
387.         Porventura não meditam os seres humanos que se Eu quisesse, então a humanidade formaria uma comunidade de centro, livre do extravio? E que não disputaria acerca da Palavra ou da Orientação? Nem se separaria em seitas ou cismas? Ou que não discutiria acerca dos Meus Ungidos e do Meu Nome, em dogmas e doutrinas extravagantes?
388.         Qual! São, em grandes parcelas, réprobos e ingratos para com o teu Senhor. E eles duvidam das Minhas Revelações Progressivas; porquanto são insubmissos!
389.         Por acaso são os mesmos que defendem a tese de que o teu Senhor é limitado e, por isto, encontra-se incapacitado de dirigir a humanidade em Sua direção?
390.         Qual! Sabei que temos destinado piras chamejantes para os insipientes!
391.         Ou por acaso não meditam os homens que nenhum dos Meus Profetas ou Mensageiros combateram por eles; já que os seres humanos são, naturalmente, ingratos e réprobos?
392.         Qual! Contrariamente, martirizam-se pelo Meu Santo Nome, porque lutam, exclusivamente, pela Minha Glória e Remissão;
393.         Ou tu, ó Manifestante, te sacrificarias pelos seres humanos?
394.         Dize: Minha vida pertence unicamente ao Senhor, o meu Deus, o Piedoso, o Misericordioso, que fará dela o que Lhe aprouver;
395.         Dize ainda: Louvado seja o Soberano dos Mundos, pois não há outro deus além d´Ele!
396.         Porém, os idólatras só professam ilusões e extravagâncias.
397.         Ó humanos, sabeis que Eu não sou o vosso pai ou a vossa mãe. Eu sou o vosso Criador e vós sois as Minhas criaturas.
398.         Dize: Ó humanos, Deus não é a superstição, a mística, a mitologia ou o sobrenatural; contrariamente, Deus é a Sabedoria, a Razão, o Intelecto e a Ciência, porque Ele é a Luz do Conhecimento, que brilha fulgurosamente acima de todas as coisas do Universo e que vos previne, com o Seu Verbo, contra as ciências ocultas dos depravados; isto é, a ignorância. Não compreendeis?
399.         E os mais apressados entre os insubmissos, te dirão, ávidos em suas insensatezes: Então nós seremos aniquilados por nossas idolatrias à terceiros? Quando se dará isto? Dizes, se és realmente dos verazes.
400.         Dize: O conhecimento do Dia Infalível pertence unicamente ao meu Senhor, o Inteiradíssimo. A mim foi dada tão somente a ordem de exortá-los que, no tempo apropriado, se não abandonarem as vossas idolatrias e as vossas insubmissões, e se não genufletirem ao Soberano dos Mundos, os acometerá um terrível e doloroso castigo terreno; entretanto, sabeis, ó insubmissos, que no Dia das Lamentações, os extraviados sofrerão um novo revés de fogo e de calor.
401.         Ai daqueles que disputam acerca da Hora, dizendo: Estamos nos últimos dias;
402.         Dize: Qual! O conhecimento da Hora só pertence à Deus; e todo conspirador, que conjecturar sobre o que ignora, sofrerá no tormento eterno!
403.         E eles te dirão: Qual! Deus é o nosso Pai, e jamais nos aniquilará;
404.         Dize: Ó insensatos, qual pai aniquilaria os seus filhos, senão um criminoso? Sabeis que Deus não tem prole, nem vos considera os filhos d´Ele. Sabeis que Ele é o vosso Senhor, o vosso Criador, e vós sois as Suas criaturas. Sabeis que Ele vos punirá duas vezes por vossas transgressões; Ele vos dará, inexoravelmente, as mortes terrenas, logo vos ressuscitará e, depois, vos punirá novamente, com o fogo eterno. Não atentais?
405.         Dize: Qual pai seria capaz de tanto? Sabeis, ó depravados, que Deus é o mais destro em promulgar a justiça e o mais sinistro em aplicar o castigo, temei-O, pois.
406.         Dize: Apartai-vos de vossas incúrias e de vossas ilusões, ó humanos. Exaltado seja o Senhor, o meu Deus, acima de qualquer prole que os humanos Lhe atribuem.
407.         Dize: Glorificado seja o Senhor, o meu Deus, o Absoluto e o Supremo; que nunca teve filho, irmão, mãe, pai, esposa ou parceiro na Soberania dos Mundos.
408.         Sabei, ó Manifestante, que os cristãos não são os primeiros a Me nomearem uma esposa, com o exemplo de Maria, a mãe de Jesus; outrora, os hebreus (israelitas) já adoravam Aserá; os cananeus (fenícios/cartagineses) adoravam Tanit; os árabes, veneravam al-Late; e, os incas, idolatravam Pacha Mama como as suas deusas-mãe; porquanto os homens se apegam as suas fantasias satânicas com unhas e dentes;
409.         Porém, não há ilusão que perdure; porque Eu sou Deus e não há outro deus além de Mim!
410.         Se os humanos almejam um exemplo de paternidade, que observem a conduta de Abraão, o monoteísta, que jamais se encontrou entre os idólatras. Ele é, verdadeiramente, o vosso patriarca;
411.         E se os humanos almejam um exemplo de maternidade, que observem a conduta de Maria, a monoteísta, que jamais se encontrou entre as idólatras. Ela é, verdadeiramente, uma virtuosa.
412.         E te dirão: És um mentiroso. Pois Deus é o Pacífico, o Amoroso e jamais aniquilaria os Seus filhos;
413.         Dize: Então, explicai, ó desmentidores, como Ele prendeu os vossos espíritos no barro perecível, que envelhece e adoece, e que é tomado por dores e medos; acaso achas que Ele faz por pura diversão?
414.         Dize: Qual! Fez senão para testá-los quanto as vossas devoções; e quão poucos de vós têm perseverado em Sua senda.
415.         Dize: Jamais um espírito vacilante ou malévolo comungará com Deus no Paraíso;
416.         Dize: Não importa quão Misericordioso Ele seja; salvo aqueles que Ele venha a determinar em Seu Juízo; porquanto é o único Soberano do Dia da Ira. Não atentais?
417.         Dize: Se Deus fosse como as vossas ilusões o retratam-No, então, não haveriam maldições ou anátemas entre vós; não haveriam deficiências físicas nem deficiências mentais congênitas no seio humano;
418.         Dize: Qual! Deus é o Castigador e o Punidor, pois, quando convocou os seres humanos à submissão absoluta ao Seu Nome, os homens renegaram a Sua Orientação e Lhe nomearam, ora semelhantes, ora parceiros, e fizeram das fantasias satânicas as suas moradas, combatendo os Seus Mensageiros e desprezando a Sua Lei.
419.         Dize: E Deus punirá os idólatras e os mendazes entre os homens, porquanto não há outro deus além d´Ele; é o Poderoso, o Opulentíssimo.
420.         Ai daqueles que dizem: O meu infortúnio não deriva de Deus; e nega, conseguinte, a Soberania do Eterno sobre todas as coisas;
421.         Dize: Louvado seja Deus, o Destinador, o Punidor;
422.         Dize ainda: E glorificado seja Deus, o Depurador, o Castigador!
423.         Repara, pois, como os infames rebaixam o teu Senhor, ó Manifestante, tentando humaniza-Lo; porém, em verdade, no Dia da Ira, serão eles os rebaixados;
424.         Em verdade, és servo de um Senhor Glorioso, o Louvabilíssimo;
425.         E, em verdade, o teu Senhor é o Poderoso, o Potentíssimo; e quando Ele decreta algo com o Seu Verbo, eis que todos os Mundos estremecem, em absoluta obediência;
426.         Exaltado seja Deus, o Soberano dos Mundos!
427.         E te dirão: Nós somos todos seres humanos e Deus não nos punirá;
428.         Dize: Ramsés e o seu povo também eram seres humanos e observai a sorte que os assolou;
429.         Dize: Antes disto, os contemporâneos de Lameque também eram seres humanos e foram aniquilados pelo decreto de Deus;
430.         Dize: E, depois disto, os adoradores de Tamuz também eram seres humanos, e foram afogados, completamente, pela Ira de Deus!
431.         Dize: Assim Deus vos evidencia que os Seus partidários jamais serão equiparados aos partidários de Satã; porque estes últimos terão por morada o fogo torturante;
432.         E que terrível morada será esta, se os soubessem!
433.         Dize: Estas são as Leis de Deus, dadas em exortação aos povos primitivos, e vós não encontraríeis discrepâncias nem aleives em Suas Leis.
434.         E te dirão: És um intolerante. Não percebes que um mundo novo é capaz de abranger todas as religiões?
435.         Dize: Qual! Sou apenas um homem e obedeço integralmente aos comandos do Senhor, o meu Deus, que é, verdadeiramente, intransigente para com os iníquos e com os ímpios;
436.         Dize: Duvidais, por acaso, ó incrédulos, da Sua promessa de aniquilamento dos povos extraviados? Pois aguardai o Dia Infalível, que eu serei mais um dos que aguardarão convosco.
437.         Dize: Em verdade, a esmagadora maioria dos seres humanos tem negligenciado os Nossos sinais;
438.         Dize: E, em verdade, o fogo eterno será o castigo dos que duvidam.
439.         Dize: Ó insubmissos, os partidários de Deus jamais se congregarão com os partidários de Satã, mesmo que os oportunistas conspirem pelo contrário;
440.         Dize: Deus só tem uma Religião (embora tolere temporariamente as idolatrias); a submissão ao Seu Sagrado Nome. Esqueceis, ó hesitantes, quantos ídolos ou quantos povos Deus declarou guerra nos Livros Indubitáveis e, ainda, quantos Ele aniquilou?
441.         Dize: Por acaso achas, ó caprichosos, que os atos do Livro-matriz são contos ou fábulas ficcionais de um escritor?
442.         Qual! Por acaso, não meditais?
443.         Recordai então, ó humanos, do profeta Elias, que congregou os israelitas e os sacerdotes de Moloque e de seu panteão satânico para testemunharem a Minha Onipotência;
444.         E foi lhes dito pelo profeta: Vai, invocai os vossos deuses e fazei cair fogo do céu, se os vossos deuses forem dos verazes;
445.         Qual! Foram humilhados frente ao seu povo, porque eram idólatras e professavam fantasias satânicas.
446.         Elias então invocou o Meu Nome; e as chamas prontamente desceram até ele, incendiando o seu sacrifício. O povo testemunhou que só existe um Deus; o Único, o Verdadeiro e o Absoluto;
447.         E os idólatras foram novamente congregados e aniquilados à lamina do alfanje, um por um, pela autoridade do profeta; porque este é o castigo dos depravados na vida terrena;
448.         Entretanto, o que os aguardará no Meu Dia será o fogo torturante!
449.         Porque Eu sou o Senhor do Universo; o Soberano dos Mundos;
450.         E Eu sou ciumento, ó humanos, não por capricho, mas porque Eu plasmei a vida em vossos peitos; Eu criei os Sete Céus Sobrepostos, a Terra e tudo quanto existe entre ambos; Eu sou o Sustentáculo do Universo; e Eu sou um Senhor de Ira e de Vingança;
451.         Porque os seres humanos, seguindo os passos dos gênios, se rebelaram contra Mim;
452.         E, ei-los aí, cercado por atribulações e adversidades, porque, desde o princípio, nomearam-Me semelhantes e atribuíram-Me parceiros;
453.         Mas os Meus súditos enfrentarão os infortúnios da vida de cabeça erguida, rogando pelo Meu amparo e pela Minha fortaleza, porque são esperançosos; e eles logo serão recompensados.
454.         Olhai os líderes do povo depravado, ó Manifestante, que, embora se julguem cristãos, cometem as mesmas transgressões que praticaram os impostores e os cínicos que perseguiram Jesus, o filho de Maria; e impõem ao Meu rebanho às suas impiedades particulares;
455.         Porque a humanidade é ingrata e impaciente e, desta forma, reincide na idolatria e na hipocrisia.
456.         Dize: Ó humanos, não há imposições na verdadeira Religião, senão a submissão irrestrita à Deus e Seus comandos!
457.         Dize: Ó humanos, Deus aniquilará, no Seu tempo, com todos os ídolos, todos os idólatras e todas as idolatrias da humanidade, pois é o Potente, o Poderosíssimo; e, na outra vida, os blasfemos queimarão na fogueira infernal.
458.         Dize: Poderás, ó vacilante, encontrar a graça que tanto almejais no perverso labirinto de Satã, mas o Senhor, o meu Deus, é a Testemunha que eu estou em permanente confronto contra as conformidades idolátricas dos seres humanos;
459.         Dize: E esta é a elucidação que veio do Senhor, o meu Deus, e eu jamais venderei a Sua admoestação à vil preço;
460.         Dize: E mesmo que os escarnecedores e os idólatras me contradigam, amparo-me no Senhor do Universo; porque Ele me é suficiente.
461.         Recordai então que os corruptos, os oportunistas, os bandidos, os mentirosos, os aproveitadores, os perversos, os ímpios, os homicidas, os hipócritas, os insubmissos, os insubmissos, os idólatras e os ímpios que compõem os povos depravados, jamais serão como tu, como os teus súditos ou como as tuas súditas, ó Manifestante;
462.         Porque tu és o Meu Manifestante e os teus serão os Meus súditos;
463.         Ai, portanto, dos malfeitores!
464.         E eles te renegarão, ó André, porque o teu Senhor não é suficiente para os depravados;
465.         E quão terrível será a Minha resposta, no Dia em que as suas ideologias nefastas forem desmascaradas e no Dia em que ruírem, como castelos de areia, as suas certezas;
466.         Então, olharão para o Meu Trono, confusos e receosos, quando todas as ilusões idolátricas dos depravados se desvanecerem; porque o Meu fogo serpenteante os cercará, agressivo e terrificante, como uma anaconda aterradora, preparada para o hediondo ataque com a sua bocarra, anunciando-lhes um assombroso e sibilante bote.
467.         Tal será o destino de todo idólatra, que ousou comparar-Me com um ser humano;
468.         Tal será o destino de todo insubmisso, que ousou nomear-Me parceiros ou semelhantes.
469.         E que terrível destino; logo os verás, ó Manifestante, aos prantos e soluçantes, no terrível carbonizador de ímpios;
470.         Então, o teu coração se entristecerá e o teu espírito se compadecerá; e tu rogarás pela Minha remissão e pela Minha misericórdia àqueles que Nos combateram com fervor;
471.         E, com os profetas, se somarão as súplicas dos anjos e os suspiros dos gênios, incapazes de compreenderem o Meu castigo eterno aos infames;
472.         Mas, juro-te pelo Meu Nome e juro-te pelo sangue dos Meus Mártires, que sucumbiram combatendo os corruptores da Terra, que Eu não terei nenhuma misericórdia dos partidários de Satã; salvo aqueles que Me aprazerá salvaguardar do fogo;
473.         E eles logo saberão, ó Manifestante, que a promessa deste Manifesto será terrivelmente infalível!
474.         Acaso pensam os seres humanos que conspiram iniquidades ou que conjuram impiedades contra os seus semelhantes, que Eu terei misericórdia no Meu Dia dos seus planos satânicos? Quão péssimos são os julgadores!
475.         Dize: Louvado seja o Senhor, o meu Deus, o mais terrível dos punidores.
476.         Dize: Ó humanos, é Deus que vos elucida estes sinais milagrosos, visto que é o Sapiente, o Inteiradíssimo.
477.         Dize: Ó humanos, pensais, acaso, que Deus vos criou por diversão e não para testá-los quanto as vossas devoções?
478.         Dize: Qual! Exaltado seja Deus, o Senhor do Universo.
479.         Dize: Não há outro deus além d´Ele; o Uno, o Verdadeiro, o Absoluto;
480.         Dize ainda: Glorificado seja o Soberano dos Mundos!
481.         E quando te questionarem sobre quem entre os seres humanos são os mais elevados aos Olhos de Deus;
482.         Dize: Os mais elevados aos Olhos de Deus são aqueles que doam inteiramente as suas riquezas e as suas vidas na Sublime Causa;
483.         Depois, perguntai: Quem entre vós, derramará o seu próprio sangue no Levante Sagrado contra o partido de Satã?
484.         Então tu diferenciarás os submissos dos insubmissos, os combatentes dos pusilânimes; pois quantos seres humanos te virarão as costas e te desprezarão, se tu os enumerassem. Deixai-os, pois, com as suas afeminações; logo serão recompensados. E que tenebrosa recompensa!
485.         Os mais elevados são aqueles que creem em Deus, promovem as virtudes e proíbem os vícios;
486.         E são os generosos e os liberais, que usam partes das suas riquezas erigindo devocionários para as genuflexões dos Meus servos, além dos que erguem academias comunitárias para o ensino dos Meus sinais.
487.         Sabeis que Deus permite aos generosos e aos liberais colocarem os seus nomes nos devocionários que erigirem com as suas fortunas. É uma dignidade que os nobres gozarão junto à Deus e às Suas criaturas, porquanto Deus é o Generoso, o Tolerantíssimo!
488.         Dize: Ó humanos, os aspectos mais importantes na vida de um verdadeiro submisso é o de combatente irrestrito contra o partido de Satã e o de militante contra os idólatras; seja esta luta material ou espiritual;
489.         Dize ainda: Ó humanos, a única morte aceitável para um combatente da Sublime Causa é aquela alcançada pela glória de Deus;
490.         Dize ainda: Benditos sejam os mártires do Senhor; submissos que não oscilaram em suas devoções;
491.         Dize ainda: E, na outra vida, contar-se-ão entre os recompensados!
492.         Dize: Ó humanos, benditos são aqueles que utilizam as suas riquezas para edificar uma comunidade equânime, justa e solidaria, além dos que usam as suas fortunas para propagar a submissão por toda a Terra; e, em contrapartida, malditos são aqueles que utilizam as suas riquezas com finalidades fúteis e obscenas;
493.         Dize ainda: E, outrossim, benditos são aqueles que orientam as suas vidas pelos Santos Estatutos de Deus; e, contrariamente, malditos são aqueles que criam leis desprezíveis para favorecer a libertinagem, a promiscuidade, a idolatria, a iniquidade e a impiedade!
494.         E quando te questionarem quanto a tua religião, ó Manifestante;
495.         Dize: A minha Religião é a submissão à Deus, o Voto Perpétuo concedido ao profeta Abraão e a Jesus, o filho de Maria, que nunca se contaram entre os idólatras;
496.         Dize: À Deus nos encomendamos, nós, os Seus Profetas e Mensageiros, porquanto Ele é o maior dos preservadores;
497.         Dize: Assim ocorre porque Deus é a única Verdade, e porque tudo quanto invocam os infames no lugar d´Ele, são falsidades idolátricas.
498.         Dize: Ó humanos, a luta dos Profetas e dos Mensageiros de Deus é pela Sua Unicidade e pela supremacia da Sua Lei; não é pela propagação de ídolos mundanos fabricados pelos depravados;
499.         Dize: Seja estes ídolos anjos, gênios, homens, semideuses ou deuses;
500.         Dize: Pois há apenas um Deus, o Uno, o Verdadeiro, o Absoluto. Não raciocinais?
501.         Dize: Louvado seja Deus, o Glorioso, o Altíssimo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário